segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

O nome gravado no braço de Ramon

. segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Ramon era um menino hindu que morava com os pais, lá na Índia. Com oito anos de idade, nunca havia freqüentado escola alguma. Ele tinha intensa vontade de estudar, mas o pai o enviava para cuidar das cabras.

Toda pmanhã saía, para apascentar o rebanho, levando-o aos lugares em que houvesse folhas em abundância, e à noite voltava com ele para o cercado.

Quando chegava, à noitinha, comia os alimentos que a mãe lhe preparara e se assentava ao lado do pai. Era costume os homens comerem primeiro e só depois é que as mulheres se serviam.

Antes de irem dormir em suas esteiras, Ramon, orava, mas não da maneira que orais. Ele ficava de pé, com as mãos postas, e repetia muitas e muitas vezes, o nome do deus por que era ele chamado: “Rama, Rama, Rama,...” dizia ele, esperando que aquele deus o ouvisse e o amparasse durante a noite e o dia seguinte.

Mas Ramon fez mais do que rezar. Foi á procura de um homem que soubesse, pela tatuagem, gravar em seu braço o nome de Rama. Ele cria que o deus visse seu nome lá inscrito e cuidasse dele de modo especial.

Um dia, enquanto vigiava as cabras, viu algumas crianças que conduziam ardósias ou pedras de escrever, e livros. Perguntou aos meninos para onde se dirigiam, e eles lhe responderam que iam à nova escola da missão, bem distante ainda.

Como Ramon desejava freqüentar a escola, também! Embora tivesse as cabras de que cuidar, resolveu ir, para saber como era a instituição. Foi, pois, em direção da escola, levando também seu rebanho de cabras. Ao chegar lá, procurou escutar tudo quanto o professor disse, enquanto os animais pastavam. Não tardou muito, e o professor o convidou a entrar. Procurou um lugar de onde pudesse ver o rebanho, para estar certo de que nenhum perigo houvesse com os animais.

Houve uma coisa que Ramon aprendeu muito depressa: a querida história de Jesus. Dentro de pouco Ramon disse ao professor que queria tornar-se cristão. E agora, que fazer com o nome gravado em seu braço? Tinha tanta vergonha disso, que sempre e sempre escondia a tatuagem, para que ninguém a visse.

- Senhor professor, pode fazer o obséquio de cortar meu braço? – gaguejou ele, ao erguer a mão.

- Que é que há com seu braço, para querer que eu o corte? – disse, surpreendido, o professor.

- Senhor – disse Ramon – desejo ser um menino de Jesus, isto não pode ser enquanto eu tiver o nome de meu antigo deus gravado em meu braço. Veja bem as letras onde estão.

O missionário foi tão bondoso, que logo Ramon criou coragem e disse: - Quero tanto ser um menino de Jesus, que estou pronto para dar, com alegria, o meu braço.

Não foi difícil o professor missionário explicar ao pequeno Ramon que Jesus tinha muito prazer em vê-lo disposto a sacrificar até mesmo o braço, e declarou-lhe que Jesus estava pronto a aceitá-lo, embora com aquele nome do deus pagão em seu braço. Então, veio-lhe à mente uma nova idéia:

- Senhor, se eu pedir ao homem para gravar o nome de Jesus por cima do de Rama, de maneira que só se veja o de Jesus, não será bom?

- Jesus o aceitará, mesmo com o nome de Rama em seu braço, mas creio que Ele Se alegrará em ver que agora o nome Dele está em cima do nome de Rama.

Foi desta maneira que Ramon se tornou cristão e pôde demonstrar seu amor para com Jesus.

0 comentários:

 
Namablogkamu is proudly powered by Blogger.com | Template by o-om.com